Breaking News

Cirurgia de Bolsonaro para retirada de bolsa de colostomia termina 'sem intercorrências', diz boletim médico

A cirurgia a que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi submetido nesta segunda-feira (28) no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, terminou após sete horas. O procedimento ocorreu "com êxito", segundo informou o Palácio do Planalto.

De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital, a cirurgia foi realizada "sem intercorrências e sem necessidade de transfusão de sangue".

Foi realizada uma "anastomose do íleo com o cólon transverso", que é a união do intestino delgado com uma parte do intestino grosso.

Foram retirados de 20 a 30 centímetros do intestino grosso de Bolsonaro na parte que ligava o intestino delgado à bolsa de colostomia.

"No momento, o paciente encontra-se, na Unidade de Terapia Intensiva, clinicamente estável, consciente, sem dor, recebendo medidas de suporte clínico, prevenção de infecção e de trombose venosa profunda", diz o boletim médico.

Bolsonaro começou a ser submetido ao procedimento médico às 8h30 desta segunda-feira, segundo afirmou o porta-voz da Presidência, Coronel Rêgo Barros, e durou até as 15h30. A cirurgia era necessária para retirar a bolsa de colostomia e religar o trânsito intestinal.

Segundo o porta-voz da Presidência, "o presidente possuía em razão das outras duas cirurgias uma quantidade muito grande de aderências. E essas aderências exigiram do corpo médico uma verdadeira obra de arte em relação à cirurgia".

O porta-voz explicou que após a cirurgia Bolsonaro segue em jejum, com administração de soro pela veia. A avaliação médica será feita diariamente, sempre pela manhã, para a reintrodução alimentar da forma mais adequada. Nesta terça-feira, o presidente começa o tratamento de fisioterapia com foco respiratório e motor. Vai caminhar dentro do quarto. Diariamente, o cenário será também avaliado para novas definições.

A recuperação deve demorar dez dias e Bolsonaro deve ficar 48 horas em repouso absoluto a contar do início da cirurgia e a partir da 9h da manhã desta quarta-feira (30) retoma suas atividades despachando de dentro do hospital, segundo Rêgo Barros.

Acompanharam três filhos de Bolsonaro, Carlos, Eduardo e Renan, e a primeira-dama Michelle.

Nos últimos meses, desde que foi atingido por uma facada durante ato de campanha em setembro do ano passado, Bolsonaro ficou com uma bolsa de colostomia junto ao corpo. Este é um procedimento que encaminha as fezes e os gases do intestino grosso para uma bolsa fora do corpo, na região abdominal.



G1

Nenhum comentário