Breaking News

Número de homicídios cai 40% durante carnaval no RN, diz polícia

O número de homicídios teve queda de 40% no carnaval 2014 em comparação com o ano passado. De acordo com balanço divulgado nesta quinta-feira (6) pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), a quantidade de assassinatos caiu de 25 para 15 em todo o estado. Também em relação a 2013, houve uma redução no número de ocorrências na região metropolitana. No ano passado foram registradas 148 notificações contra 93 deste ano. No trânsito foram realizados 721 testes de bafômetro e apreendidas 63 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs).
Cúpula da Secretaria de Segurança do RN apresentou balanço da operação Carnaval (Foto: Demis Roussos)Para o coronel Francisco Araújo, comandante geral da PM, a operação foi um sucesso, sobretudo pelo caráter de integração entre as quatro forças envolvidas em todo o Rio Grande do Norte.  O coronel acrescenta que isso permitiu, por exemplo, a prisão de quatro foragidos da justiça e a apreensão de um quilo de cocaína na praia da Redinha.

“Em 2014, fizemos um maior planejamento para resolver os problemas e realizar com êxito a operação Carnaval. Instruímos os policiais a procurar sempre a mediação do conflito e, em último caso, efetuar a prisão ou apreensão. Isso permitiu que tivéssemos o carnaval mais tranquilo dos últimos anos. Nenhum registro de fuga foi notificado nos presídios, CDPs (Centros de Detenção Provisória) ou Ceducs (Centros Educacionais) do Rio Grande do Norte durante a folia de momo”, confirmou.

Bombeiros apontam redução

O Corpo de Bombeiros também apontou redução no número de ocorrências. A queda foi de 59% nas praias, açudes e barragens, segundo informou o comandante geral da corporação, coronel Elizeu Lisboa Dantas.

Segundo o coronel em relação a 2012 houve um aumento de 270% nos atendimentos preventivos. Outra ação do Corpo de Bombeiros foi a produção de autos de interdição de trios elétricos que mostraram dissonâncias entre os projetos técnicos apresentados ao setor de engenharia do órgão.




Fonte: G1/RN