Breaking News

Mesmo com chuvas, 150 municípios do RN estão 'muito secos'

Moradores de Equador, RN, precisam enfrentar filas para conseguir água (Foto: Anderson Barbosa/G1)
Apesar do registro de chuvas em parte das cidades potiguares nos últimos dias, 150 dos 167 municípios do Rio Grande do Norte ainda estão em situação 'muito seca' no acumulado dos três primeiros meses de 2014. O resultado está na Análise de Chuvas da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn). O relatório mostra outras duas cidades com quadro de 'seca' e mais 15 constam como 'sem informação'. Na última terça-feira (25) a governadora Rosalba Ciarlini renovou a situação de emergência em 95% das cidades potiguares por causa da seca.

As chuvas de março abastecerem barragens, açudes e lagoas, conforme mostra o sistema de informações da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh). Entretanto, a coordenadora de Gestão de Recursos Hídricos da Semarh, Joana D'arc Freire de Medeiros, conta que a situação não foi revertida. "Choveu pouco e ainda não deu para reverter. Houve certa melhora, mas muita pouca", diz.

Localizada em Assu, na região Oeste, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior do estado, chegou ao menor nível de sua história em fereveiro deste ano, quando ficou com apenas 33% de sua capacidade, o que corresponde a 835.400.000 metros cúbicos. O reservatório é responsável pelo abastecimento de 34 cidades da região e tem capacidade de 2,4 bilhões de metros cúbicos. Atualmente a barragem está com 34,62% da capacidade.

Análise das chuvas acumuladas mostra cidades 'muito secas' (Foto: Emparn/Reprodução)Imagem de mapa da Emparn mostra que 150 municípios estão muito secos devido à falta de chuvas este ano no Rio Grande do Norte (Foto: Emparn/Reprodução)
De acordo com Joana D'arc, a estiagem chegou ao ponto mais crítico em fevereiro deste ano. "Desde 2012 vem piorando progressivamente. A chuva deste mês não chegou a todos os reservatórios. Alguns estão até piores do que fevereiro. É de comemorar a chuva de março. Notamos que algumas comunidades rurais, sempre as primeiras a sentir os prejuízos ou benefícios, melhoraram de situação, mas não dá para dizer que está resolvido o problema", acrescenta a coordenadora da Semarh.
Chuva ameniza falta d'água em Luís Gomes, no RN (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Chuva ameniza falta d'água em Luís Gomes
(Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Março apresenta melhora

Quando comparados apenas o mês de março desde 2012, quando a estiagem se consolidou no estado, os números de 2014 são melhores em relação aos dois anos anteriores. "Estamos com previsão de chuvas para os próximos dias. Teremos uma situação bem mais confortável em termos de valores", avalia o meterologista da Emparn, Gilmar Bistrot. Em março de 2012, 99 municípios estavam em situação 'muito seca', dado que aumentou para 131 no ano seguinte e caiu para 57 neste ano

No relatório de 2014 constam 52 municípios em situação 'normal', oito em 'chuvoso' e um em 'muito chuvoso'. Nos dois anos anteriores nenhuma cidade aparecia no quadro de 'chuvoso' ou 'muito chuvoso'. Em 2012 cinco apareciam em situação 'normal', número que caiu para um em 2013. Gilmar Bistrot ressalta que os dados ainda precisam de mais consistência para confirmar a situação dos municípios e afirma que é preciso esperar os próximos meses para ter uma resposta mais concreta.

Emergência renovada em 95% do estado

Em dois anos, a governadora Rosalba Ciarlini assinou seis decretos de emergência por causa da seca no Rio Grande do Norte. O último deles foi publicado na última terça no Diário Oficial do Estado (DOE), onde 159 municípios constam na lista, que já chegou a ter 160 cidades potiguares em setembro do ano passado.

A recomendação é manter o estado de emergência. Só poderemos saber se o governo poderá retirar o decreto em maio ou junho, quando a agricultura de subsistência dá os primeiros resultados."
Gilmar Bristot, meterologista da Emparn
"A recomendação é manter o estado de emergência. Só poderemos saber se o governo poderá retirar o decreto em maio ou junho, quando a agricultura de subsistência dá os primeiros resultados. É preciso ter garantia de safra e entrar em situação de estabilidade climática. É preciso esperar o término de março e abril, que são os meses em que mais se chove", analisa o meterologista Gilmar Bistrot.

O primeiro decreto assinado pela governadora foi em abril de 2012, quando 139 cidades foram colocadas em situação de emergência. Esse número subiu 139 em julho, se manteve inalterado em outubro, aumentou para 144 em março de 2013, e chegou ao pico de 160 em setembro do ano passado. Atualmente 159 municípios estão na lista com o último decreto.

O assessor técnico da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), tenente da Polícia Militar Lavínio Flávio de Souza explica que a documentação sobre o estado de emergência das cidades está sendo enviado para a Secretaria Nacional de Defesa Civil. O objetivo, segundo o tenente Lavínio, é que o Exército Brasileiro assume por completo a operação 'Carro-Pipa'. Em dezembro a Defesa Civil atendia 28 cidades, porém cinco foram passadas para responsabilidade do Exército.

Carros-pipa são usados para levar água para as residências de Antônio Martins, RN (Foto: Anderson Barbosa/G1)
Carros-pipa são usados para levar água para
casas no interior (Foto: Anderson Barbosa/G1)
RN tem 12 cidades em colapso

No último relatório divulgado pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), 12 municípios estão em colapso no abastecimento d'água por causa da ausência de chuvas e consequente baixa do índice de água nos reservatórios. Outras seis cidades passam por rodízio no abastecimento e 15 estão em risco de colapso, que ocorre quando a empresa admite que não tem mais condições de fornecer água para o município.

Ainda de acordo com a Caern, as cidades que estão em colapso ficam nas regiões Oeste e Seridó do estado. Atualmente, estão sem abastecimento de água os municípios de João DiasPilõesSão Francisco do OesteLuís GomesAntônio Martins, Venha Ver, Francisco Dantas, ParanáEquadorIpueira, Carnaúbas dos Dantas e São José do Seridó. Os municípios potiguares em situação de rodízio de abastecimento são Jardim do SeridóParaúTriunfo PotiguarCampo GrandeJanduís eMessias Targino.




Fonte: G1/RN