Breaking News

Inquérito sobre morte de lutador tem dia para acabar e traição é descartada

Lutador de MMA Luiz de França e o tenente da PM Iranildo Félix (Foto: Arquivo Pessoal e Heloísa Guimarães/ Inter TV Cabugi)
Apesar de admitir que ainda não há elementos suficientes para indiciar o tenente da Polícia Militar Iranildo Félix – até o momento apontado como único suspeito de matar a tiros o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade, assassinado no dia 10 deste mês na zona Sul de Natal – o responsável pela investigação pretende concluir o inquérito até o dia 30 de março. Ao G1, o delegado Sílvio Fernando também revelou que está praticamente descartada a possibilidade de o crime ter sido motivado por uma suposta traição envolvendo a namorada do policial e o lutador. O tenente nega qualquer participação no homicídio.

“O prazo é de 30 dias a contar da data do crime. Por isso espero encerrar a investigação logo após o carnaval”, disse o delegado. Quanto ao suspeito, o titular da 11ª DP preferiu manter em sigilo o andamento das investigações. Contudo, revelou que a suspeita de crime passional foi deixada de lado. “No momento, a linha de investigação mais forte ainda é o desentendimento que o oficial teve com o lutador dias antes do crime”, ressaltou Sílvio.
Para os próximos dias o delegado disse que estão previstas algumas diligências e novas testemunhas serão ouvidas. “Estamos trabalhando. Estou confiante de que vamos elucidar este caso e indicar não apenas quem matou o lutador, mas também descobrir quem o ajudou a cometer este crime”, declarou Sílvio Fernando, lembrando que também tem participação no homicídio o homem que estava em uma moto e que deu fuga ao assassino.
Luiz de França foi morto em academia no bairro de Cidade Satélite, em Natal (Foto: Augusto Gomes)






























Fonte: G1/RN