Breaking News

PM prende suspeito de assaltar restaurante em bairro nobre de Natal

Restaurante da zona Leste de Natal foi alvo de arrastão neste domingo (22) (Foto: Rogério Vital)Foi preso na manhã desta terça-feira (25) um dos suspeitos de participar do assalto que aconteceu no último domingo (22) ao restaurante Benditas Buteco, em Petrópolis, um dos bairros mais nobres de Natal. Segundo informações do soldado Geraldo Ferreira, do 1º Batalhão da PM, a prisão aconteceu em Mãe Luiza, na zona Leste da cidade, que fica na mesma região. O nome e a idade do suspeito não foram revelados porque ele estava sem documentos.
De acordo com a PM, o homem foi preso dentro de uma casa na travessa João Paulo. Na residência, os policiais encontraram joias e dinheiro, provavelmente levados durante o assalto ao restaurante, além de drogas.
Ainda de acordo com o soldado, dois carros roubados foram apreendidos no início da semana pela Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov). Os carros, uma Land Rover e uma Hilux, foram encontrados abandonados no Alecrim. A polícia acredita que os dois veículos foram usados pelos criminosos. Como eram roubados, os carros foram devolvidos aos seus respectivos proprietários.
A PM ainda faz diligências para tentar encontrar outros suspeitos do crime.
O arrastão
O assalto ao restaurante Benditas aconteceu na noite do último domingo, dia 22. na ocasião, pelo menos 30 pessoas, entre clientes e funcionários, foram roubadas durante o arrastão. Segundo a polícia, quatro assaltantes entraram no estabelecimento armados. Eles usavam capacetes e fugiram em motos.
Segundo Márcia Barcelos, proprietária do bar, o crime aconteceu por volta da meia-noite e meia. “Os ladrões renderam os seguranças que estavam na porta, entraram no salão e anunciaram o assalto”, afirmou. Ainda de acordo com a empresária, o grupo se dividiu. "Um deles ficou do lado de fora, mantendo o nosso segurança refém. Enquanto isso, os outros três pegavam tudo o que podiam no caixa, na cozinha e dos clientes. Esse ação toda demorou cerca de 10 minutos. Foram momentos de horror", falou.


Fonte: G1/RN

Nenhum comentário