Breaking News

Ministro assina certificado que torna RN área livre de febre aftosa


Vacinação contra aftosa começa quinta-feira no município. (Foto: Reprodução)Rio Grande do Norte será reconhecido oficialmente como área livre de febre aftosa nesta sexta-feira (6). O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, veio ao estado para assinar a instrução normativa necessária para a mudança de status. Com a certificação, o RN fica livre de restrições para receber e enviar animais a lugares do país que possuem o mesmo nível de segurança sanitária contra a doença.


A febre aftosa  é uma doença viral, altamente contagiosa, que atinge principalmente, bovinos, bubalinos e suínos. A doença não atinge cavalos nem seres humanos. Os registros de casos da doença geram prejuízos econômicos ao país por dificultarem a exportação de carne e por provocarem perdas na eficiência produtiva. No RN, o último caso da doença foi registrado em 2000.


O Instituto de Defesa de Inspeção Agropecuária do Estado (Idiarn) iniciou o inquérito soroepidemiológico que visa o reconhecimento do RN como área livre da febre aftosa em outubro do ano passado. Esse processo objetivou confirmar que o vírus da aftosa não estava circulando em território estadual.


Na primeira fase do processo, aconteceram as visitas prévias às propriedades selecionadas pelo Departamento de Saúde Animal (DSA), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).  A seleção foi feita de forma aleatória e com base na movimentação de trânsito, analisando o banco de dados do Idiarn.



As propriedades selecionadas passaram pelas seguintes etapas: visitas prévias; colheita de amostras; colheita de amostras pareadas e monitoramento com inspeção clínica dos animais. As propriedades não puderam movimentar os animais pertencentes às amostras (bovinos de 06 a 24 meses) até a conclusão do processo.

Em seguida, o Idiarn enviou 4.301 amostras de sangue da espécie bovina e 1.980 amostras de sangue de pequenos ruminantes ao Laboratório Nacional Agropecuário do Rio Grande do Sul (Lanagro/RS) para realização de testes sorológicos.


Considerando os resultados favoráveis obtidos pelas amostras colhidas em propriedades sob monitoramento, foram encerradas em maio de 2013 as atividades do Inquérito Soroepidemiológico com vistas ao reconhecimento do Rio Grande do Norte como área livre de aftosa com vacinação.



Fonte: G1/RN

Nenhum comentário